sábado, 15 de fevereiro de 2014

Papa Francisco sobre a missa antiga: Uma modinha

O então-arcebispo de Buenos Aires rezando a missa nova
Por que preferimos a missa antiga? A foto acima nos responde.


O blog "Rorate Caeli" nos apresenta a tradução (para o inglês) de uma página da rádio Vaticano em checo. Nesta página o arcebispo Jan Graubner, recordando a sua recente visita Ad Limina ao Vaticano, nos apresentou algumas palavras sobre a missa tradicional que foram pronunciadas pelo Papa Francisco no encontro com os bispos desse país.

[Dom Jan Graubner] Quando estávamos discutindo sobre aqueles que apreciam a antiga liturgia e desejam retornar para ela, ficou evidente que o Papa falava com grande afeição, atenção e sensibilidade com todos para magoar ninguém. Entretanto, ele se pronunciou de forma muito forte quando disse que ele compreendia quando a geração mais antiga retornava ao que havia experimentado, mas que ele não podia compreender a geração mais nova desejando retornar a isto. "Quando eu pesquiso mais profundamente - disse o Papa - eu descubro que é mais um tipo de moda. E se é uma moda, portanto é uma matéria que não precisa de muita atenção. É preciso mostrar apenas alguma paciência e bondade para com as pessoas que estão viciadas numa certa moda. Mas eu considero de grande importância ir a fundo nas coisas, porque se não nos aprofundamos nenhuma forma litúrgica, essa ou aquela, pode nos salvar".

Assumo o relato de Dom Jan Graubner como autêntico e digno de crédito. É um bispo falando a uma rádio católica oficial (Radio Vaticano). Seria impensável que o bispo inventasse a história como forma de atingir o mundo tradicionalista ou de colocar os fiéis (e sacerdotes) ligados ao antigo rito contra o Papa.

De qualquer forma, essa é a declaração mais direta sobre o que pensa Francisco sobre a missa antiga. Antes tínamos apenas ataques velados, contra os católicos "pelagianos" ou reacionários. Agora temos algo concreto e direto, uma mensagem com destinatário certo.

Fico pensando - e creio que você também está pensando da mesma forma - como se sentirão os milhares de jovens seminaristas da Fraternidade São Pedro, IBP, Administração Apostólica, Inst. Cristo Rei e das pequenas comunidades religiosas tradicionais quando passarem os olhos nessas declarações. Será que o Papa pensa que empenharam sua vocação em algo tão tolo quanto uma modinha?

Francisco demonstra, como todo bispo latino-americano, um total desconhecimento do mundo católico para o qual Deus, por sua insondável providência, o chamou para ser Vigário. Francisco parte de um princípio muito simples - não compreendo, logo ignoro. Essa não é uma boa atitude pastoral, já que a moda agora, com Francisco, é ser pastoral.

A própria declaração - que a adesão à missa antiga é uma moda - é estúpida em si mesma. Moda é algo tão passageiro e efêmero que não se compatibiliza com o "fenômeno" da missa tradicional que dura mais de 40 anos. Alguém conhece alguma moda com quatro décadas de duração?

Bento XVI, esse professor e teólogo alemão com uma visão muito sim e não do mundo, para parafrasear o atual Vice-papa Cardeal Maradiaga, conseguiu compreender com muita clareza as intenções que conduziam jovens e velhos ao rito antigo. Não era um costume enraizado nos mais velhos ou uma moda nos mais jovens, mas uma verdadeira busca pelo sagrado que ultrapassa gerações e é, por natureza, universal (católico). Francisco, por sua vez, é minimalista até na compreensão, como são os bispos brasileiros, por exemplo. Eles perderam quase que por completo qualquer referência ao sagrado; para eles o rito da missa é só um rito, uma forma ou normativa que deve ser seguida. Não há uma realidade transcendente para eles, há apenas a lei.

Penso que agora a guerra contra a missa tradicional está (novamente) deflagrada. Os tradicionalistas tiveram 6 anos de relativa paz, mas agora é possível que suas capelas lhes sejam retiradas, que seus padres sejam transferidos e que suas reuniões proibidas.

Como eu já havia dito numa outra postagem, tentar unir Francisco com Bento XVI, demonstrando alguma "continuidade" entre os dois, é absurdo. Francisco foi eleito para revolucionar a Igreja e está fazendo exatamente isso com suas alocuções confusas, suas doutrinas econômicas cripto-marxistas, com a perseguição aos franciscanos da Imaculada, com o desdém pela missa antiga e pelos leigos a ela ligados, pelo enfraquecimento da cúria, etc.

Rezemos pela Igreja!

8 comentários:

Pedro Erik disse...

Muito preocupante estas palavras rasas do Papa Francisco. Ele mais uma vez demonstra muito fragilidade na Doutrina Católica, parece vencido pelo modernismo secular.

Rezemos pela Igreja e pelo Papa, para que ele aprofunde sua fé.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

O problema é que vocês ideologizam a Missa Tridentina. Se todos fossem como Dom Rifan e a Administração Apostólica, ninguém seria perseguido.

Anônimo disse...

Bom dia amigo Danilo, boa matéria, Bem quanto as palavras do Papa devemos interpreta-las observando tudo o que o Papa já falou anteriormente, o Papa já disse que o marxismo é equivocado, e agora Boff hehe, tambem já chamou os progressistas radicais de adolescentes imaturos, leia-se TL hahaha, mas como Pontifice ele tem o direito de criticar qualquer segmento da Igreja e os tradicionalistas não fogem a regra, os neo tradi não são nenhum grupo especial dentro da Igreja, são apenas mais um dos inumeros grupos católicos nem piores e nem melhores que ninguem, o problema foi a ideologização da missa tridentina por políticos de direita igualzinho a TL fazia com a esquerda, D.Rifan tem razão temos nosso espaço e somos respeitados na Igreja ninguem o persegue. Da mesma forma que a TL e a RCC os neo tridentinos são mais uma moda eclesiastica que vai e passa mas mantem seus adeptos eu mesmo gosto da missa tridentina não por modismo mas por espiritualidade temos que separar as duas coisas, Quanto a renovação pastoral da Igreja essa não é moda não e necessidade mesmo, neste ponto o papa tem toda a razão,
Luis Augusto.

Anônimo disse...

Moda foi o progressismo conciliar que embalou Francisco desde o seminário e, pouco a pouco, vai definhando ideológica e biologicamente (TL virou clube de vovôs sem netos). Como bispo latino-americano, o Papa vê como ameaça a Tradição católica contagiar os jovens, aí desqualifica-a como "modinha" e coisa indigna de atenção. O Santo Padre segue o preceito leninista do "acuse-os do que você é".
Pedro Pelogia

Anônimo disse...

AS modas existem na Igreja, muitos dos piedosos tradicionalistas da época de Bento XVI hoje desapareceram, quantos sites e blogs neo trad surgiram a partir de 2005 e nos ultimos anos mesmo antes do fim do pontificado Ratzingeriano desapareceram, não podemos confundir a espiritualidade da missa antiga com um modismo liturgico tradicional, agora o Papa Francisco jamais foi TL se fosse a imprensa da esquerda radical argentina não o teria atacado tanto após sua eleição.

Anônimo disse...

Francisco fala da Missa Tridentina.Retifico o texto Dom Graubner, Bispo de Olomouc na República Theca, publicada ontem em nosso site. A necessidade da republicação ocorre devido ao fato de termos traduzido para o português a partir de uma tradução do francês que se mostrou pouco fiel ao original que foi divulgado na língua do próprio autor da declaração. Em vista dos erros de tradução retifico também meus a respeito.Alguns comentários: a ideia da Missa Tridentina está tão espalhada, em toda a Igreja, que até os Bispos tchecos falam dela como uma questão que os toca a ponto de ter que falar disso ao Papa! (A tradução inicial parecia indicar que os próprios bispos desejavam celebrá-la). Senão quem já teria ouvido falar de uma expansão extraordinária do rito tridentino na Igreja tcheca? Pelo contrário, na época da visita de Bento XVI à República Tcheca, o comentário de vários os jornais era de que se tratava de um país de ateus que acreditavam mais horoscopo do que na religião! Será que a modesta presença de católicos no país constitui um grande contingente de “tridentinos”?A resposta do Papa, como seria de se esperar, fez rasgar as vestes aos ditos tradicionalistas, sempre prontos a ver antipatia e perseguição da parte do Papa. Mas, e se for a resposta do rabino Gamaliel? Interpretando a fala de Francisco nesse sentido, poderia se entender assim: “Eu não entendo esses jovens que gostam da missa antiga. É preciso ser gentil com eles, porque isso parece ser uma espécie de moda, se não dermos atenção ela passará… Mas se, por outro lado não for apenas por moda, então “é necessário ir a fundo em todas as coisas” e viver de acordo com esse rito pois senão nem esse nem o outro rito poderá nos salvar. ” Sinceramente falando, não são palavras de um aficionado da missa tridentina, mas por outro lado, não parece tão agressivo quanto certos “amigos ” da missa querem fazer parecer. Não haveria uma campanha de forças estranhas para empurrar o Papa contra nós – e nós contra o Papa? Também não se deve esquecer que se trata de um testemunho de um terceiro sobre o que o Papa afirmou. E mesmo sendo um bispo, trata-se de um prelado aparentemente contrário a difusão da Missa Antiga. E mais uma vez, fica claro como as notícias da internet podem ser distorcidas e manipuladas.Que conclusão pode-se tirar deste novo equivoco? Interessa para a Igreja que se trabalhe mais pela difusão da Missa e se seja menos suscetível a notícias desencontradas.
Caro Danilo retirei este texto do Editorial da associação Montfort, creio ser uma importante reflexão para todos os católicos, Luis Augusto

Anônimo disse...

Prefiro continuar sendo desse jeito, se for pra me equiparar com um traidor de si mesmo, como Dom Rifan.

Paulo Renato Bordignon Garmatter. disse...

Prefiro seguir a Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...