terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

3ª edição do Missal Romano está em fase de análise

Ter, 28 de Fevereiro de 2012 13:34
por: cnbb


De 27 a 28, a Comissão Episcopal para os Textos Litúrgicos (Cetel), realiza a primeira reunião do ano para estudar, analisar e aprovar as emendas para o Missal Romano Tempo Comum. A Comissão tem o objetivo de traduzir para o português os textos originais de Roma, escritos em latim. Os membros Cetel fazem emendas na tradução, e na reunião discutem aquelas que farão parte do documento, que irá para aprovação na 50ª Assembleia Geral dos Bispos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O trabalho de tradução está sendo realizado a partir da 3ª edição do Missal, expedida por Roma. As Congregações Romanas solicitam de cada Conferência Episcopal, a revisão e tradução do texto original. “Nós procuramos fazer uma tradução que seja fiel e, ao mesmo tempo, que use uma linguagem mais acessível para o povo do Missal Romano”, disse o presidente da Cetel, dom Armando Bucciol.

Para cumprir a atividade, são realizadas três reuniões anuais para a discussão e aprofundamento dos textos litúrgicos. Os textos prontos, e devidamente aprovados na Assembleia Geral, são enviados a Roma para aprovação final. Se aprovado, só a partir de então, é reconhecida a Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, por meio do vigor da 3ª edição do Missal Romano.

O trabalho de tradução é amplo e complexo, os textos além de traduzidos, são ajustados de forma com que tenham mais sintonia com as características e a linguagem de cada povo. “Cada Conferência Episcopal deve proporcionar à liturgia, mais sintonia com a cultura e a linguagem. Dessa maneira esperamos levar ao povo católico cristão, a possibilidade de orar e rezar, compreendendo, o melhor possível, o sentido das palavras que são pronunciadas”, explicou dom Bucciol.

O presidente da Comissão explica ainda que diante da dimensão e do detalhamento da tarefa, a tradução é feita “com muita tranquilidade”. Não há uma data para a conclusão dos trabalhos da Cetel, e nem de quando sairá a próxima edição do Missal. “A CNBB deve aprovar, para só então ser enviado a Roma para a Congregação. Por isso, não podemos estipular um prazo, mas com certeza, levará vários anos”, concluiu dom Armando. Atualmente, está em vigor a 2ª edição do Missal Romano.

A Cetel é composta por quatro outros membros, além do presidente da Comissão e bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), dom Armando Bucciol. São eles: o arcebispo de Belém (PA), dom Alberto Taveira Corrêa; o arcebispo de Porto Alegre (RS), dom Dadeus Grings; o arcebispo de Mariana (MG), dom Geraldo Lyrio Rocha e o bispo da diocese de Uruguaiana (RS), dom Aloísio Alberto Dilli, suplente do bispo de Chapecó (SC), dom Manuel João Francisco.

5 comentários:

  1. Reiterando o que eu disse no Facebook:

    Primeiro ponto: eles já estão trabalhando nisso há quantos anos mesmo? Segundo ponto: já existem versões em português. Eles não estão fazendo nada tão novo e complexo quanto dizem. Terceiro ponto: por que eles não trabalham com metas? Não se ouve falar de prazos. Quarto ponto: na minha opinião isso não é uma prioridade para a CNBB.
    Coloca uns monges pra trabalhar nisso que eu quero ver se não sai...eles colocam uns bispos que nem ao menos celebram em latim e querem que saiam alguma coisa? É como tirar leite de pedra. D. Alberto Taveira mesmo, por mais tradicional que seja, conhece apenas uma língua além do português: se chama "shalaialaiá" que ele reza nas missas carismáticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem como disse o Pe. Clécio - eles estão esperando (pacientemente) a chegada de um novo papa mais alinhado com suas preferências "pastorais". Se isso acontecer (Deus não o permita!), a tradução sai mais rápido que aumento pra deputado!
      Os bispos sabem que uma boa tradução, fiel ao latim, pode semear um movimento que eles não desejam. Nos EUA, cuja língua inglesa não é uma ramificação do latim, a tradução da 3 edição já está aplicada e caminhando bem.
      A lentidão(intencional) dos bispos só demonstra o nível da sua própria formação, depondo contra os mesmos. A falta de competência dessa comissão e da CNBB como um todo é incrível. Como eu mesmo já pensei, acredito que até o Google Tradutor fará uma tradução mais rápido, mais precisa e fiel ao latim original. E olha que o tradutor de latim do Google é horrível.

      Excluir
  2. Pax vobiscum,

    Concordo com os dois comentários anteriores, a cnbb só tá dando "volta" pra não ter que corrigir as bobagens feitas na 2ª edição.
    Mas não posso concordar com o "sentinelanoescuro" quando fala que Dom Alberto não conhece outra lingua alem do "halaialaiá". Acho que o irmão já viu isso http://www.avidasacerdotal.com/2010/10/dom-alberto-taveira-celebra-missa.html
    mesmo que ainda insista com a canção nova quantos arcebispos, no Brasil, conhecemos que já fez isso.

    Ave Maria Immaculata.

    ResponderExcluir
  3. "Ele está no meio de nós!"

    ResponderExcluir
  4. Nos EUA a nova tradução também deu o que falar... abs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...